Resultados de futebol ao vivo oferecidos por Futebol.com

Ads Top

Morata: "Se algum clube da Premier League me procurar, não fecharei a porta"

O centroavante reconheceu que é o momento de jogar com mais frequência, e que fará isso no Madrid ou em outro lugar

Morata celebrando um dos seus gols na vitória sobre o Leganés, por La Liga. Atacante, mais uma vez, fez declarações polêmicas e contundentes sobre sua situação no Madrid.
Foto: Reprodução/Getty Images

Em uma entrevista concedida ao jornal britânico The Guardian, Álvaro Morata falou sobre como tem sido sua carreira nos últimos anos, e confessou que sua saída do Real Madrid é uma possibilidade real para a próxima janela de verão. A Premier League pode ser o destino mais provável, e o espanhol inclusive reconheceu que no verão passado teve contatos com Pochettino e Conte, técnicos de Tottenham e Chelsea, mas que o Real Madrid não quis vendê-lo. Ao final, o atacante blanco falou ainda que se chegarem ofertas do futebol inglês para a próxima temporada, as escutará.


Recompra do Real Madrid

"O Madrid havia atado as minhas mãos. Em minha primeira temporada pela Juventus, me disseram muito antes do final que não iriam me recuperar. Queriam que eu ficasse em Turim e jogasse quase todos os jogos".

O verão passado

"Vários treinadores da Premier League me chamaram. Falei que gostaria, que se tivesse que sair, iria a Londres, mas eu não sabia o que faria o Real Madrid. Apenas sabia que me recuperariam, mas não se seria para ficar comigo ou apenas para me vender novamente. Conversei pessoalmente com Mauricio Pochettino e Antonio Conte, ainda que o normal é que os clubes chamem meu pai ou meu agente para negociar. Por fim, o Madrid não quis me vender e aqui estou. Recordo ter falado com meu pai e ele me disse: 'Este rapaz vai ganhar La Liga aqui'". 

Continuidade em campo

"Preciso de partidas como titular, continuidade, e nos últimos três anos não tive isso. Penso que posso alcançar um nível maior. É difícil jogar 10 minutos em um jogo, depois 20 em outro, e logo esperar mais duas semanas para jogar outra vez. É uma situação difícil com a qual tenho que viver até que um dia mude. Estreei jovem com José Mourinho, mas se passam mais dois anos e já não se é mais tão jovem. Na verdade, já se passaram sete anos e tenho que 'estourar'. Tenho que jogar a cada domingo, porém isso não depende só de mim".

Possível saída

"Estou feliz no Real Madrid e o clube me apoia. Mas se chegar uma oferta e quiserem me vender, não fecharei a porta para isso. Me encantei com a Itália, porém se algum dia tiver que ir embora do Madrid, irei à Premier League".

Gratidão a Conte

"Foi o treinador que mais apostou em mim, sem sequer ter trabalhado comigo em alguma equipe. Sou muito consciente disso. Apostou por mim na Juventus mas partiu antes de eu ter chegado lá. Me conhece melhor do que eu imagino, e isso me dá segurança. É importante, porque te motiva a trabalhar duro. Sinto que tenho uma dívida com Conte, e ainda não tive a sorte de trabalhar com ele. Estou seguro de que farei isso, cedo ou tarde".

Futuro

"O futuro me entusiasma, no Madrid ou onde quer que seja. Todavia tenho que aprender e melhorar. Posso fazer muito mais, mas tenho que jogar mais e com alguém que me apoie realmente. Ou me destaco, ou terminarei me acomodando, jogando partidas de vez em quando. Já não sou o mais jovem, tenho 24 anos e esse é o grande momento".

Oscilações nas partidas

"As pessoas pensam que somos máquinas. Não se dão conta que por trás de uma má sequência quase sempre há um problema pessoal ou um assunto familiar. Tenho sentimentos, cometo erros, sou um ser humano".

Mau momento na Juventus

"Estava um pouco perdido. Não era só a falta de gols. Andava discutindo com gente que era importante para mim. Era um pouco de tudo. Saí de casa muito jovem, jogava na Juventus mas estava condicionado pelo Real Madrid, que possuía uma cláusula de recompra que não dependia de mim. Não sabia nada sobre meu futuro. Tudo isso me afetou e me distraiu".

Mensagem de Buffon

"Um dia, havia acabado de treinar. Tinha sido uma sessão terrível, uma das piores da minha vida. Não conseguia nem controlar a bola. O fisioterapeuta me perguntou o que havia de errado e eu lhe disse que estava triste. Chorava. Estava na mesa ao lado de Buffon quando ele me disse que, se eu quisesse chorar, que o fizesse em casa. Justificou que, me vendo daquele jeito, as pessoas que me queriam mal se alegrariam, enquanto as que me queriam ver bem, ficariam tristes".

Quartas da Champions

"Não queria enfrentar a Juventus de forma alguma. É muito difícil jogar contra eles. Taticamente, são ótimos. Podem pensar: 'Melhor que o Bayern? Você está louco?', mas pelo nosso estilo de jogo, penso assim. A Juve é uma grande equipe. Estão voando".
Morata: "Se algum clube da Premier League me procurar, não fecharei a porta" Morata: "Se algum clube da Premier League me procurar, não fecharei a porta" Publicadas por Carlos Matheus em abril 13, 2017 Mais 5