Resultados de futebol ao vivo oferecidos por Futebol.com

Ads Top

Marco Asensio afirma que foi mal interpretado e garante: "Quero continuar triunfando no Real Madrid"

(MA20 no aquecimento em jogo pela Champions League. | Foto: Twitter @marcoasensio10 )

Depois das declarações que geraram debates durante a data FIFA, Marco Asensio justifica-se. Entrevistado pelo diário MARCA, o meia disse que foi "mal interpretado" e afirma em diverso trechos da entrevista que é ambicioso e exigente consigo mesmo. Especulado por clubes ingleses e italianos o balear assegura que quer permanecer no Real Madrid.

Confira:


Acabou a data FIFA. Que balanço você faz?
"Bem, nós tivemos tempo de estar com nossos colegas e continuar trabalhando com o novo técnico. Foram dois jogos em que a equipe tem mostrou uma boa cara, apesar do resultado contra a Croácia, mas às vezes as coisas não saem como você quer. Mas, acho que estamos no caminho certo..."


Polêmica com suas declarações durante a data FIFA
"Eu acho que tudo foi mal interpretado. No final, foi o título foi que eu não queria puxar o carro, mas em nenhum momento eu disse isso. Claro que eu quero puxar o carro junto com os meus companheiros, mas tudo foi mal interpretado - acho que para criar um debate ou eu não sei quê... Claro que eu quero puxa o carro. A única coisa que eu disse é que eu respeito os papéis de cada um na equipe, o status que existe. Mas sempre tentarei contribuir o máximo que puder e quero demonstrar neste meu terceiro ano de Madrid toda a ambição que tenho." 


Você ficou surpreso com a reação depois de suas declarações?
"Sim, porque em nenhum momento eu disse o que foi interpretado. Em todos os momentos eu quis mostrar que queria ajudar mais a equipe, ser mais importante dentro da equipe... Respeito os papéis que existem, mas é claro que quero puxar o carro porque somos uma equipe e no Real Madrid temos que jogar todos por um."


O que é mais importante quando se trata de puxar o carro: a experiência, a personalidade ou a qualidade do jogador?
"Depende de tudo um pouco. Os anos no clube contam, a qualidade e a personalidade. É um conjunto de coisas."


O que mais lhe incomodou nessa polêmica?
"Talvez sobre a da ambição. Desde que cheguei no Madrid, sempre mostrei essa ambição, esse desejo de melhorar e dar tudo no campo. E que as pessoas duvidem disto me surpreendeu bastante. É verdade que só  algumas pessoas e que eu sei que as pessoas que me conhecem sabem ao que eu me referia quando disse aquilo." 
Capa do MARCA desta quarta-feira

Você se considera um jogador ambicioso?
"Sim. Eu sempre demostrei isso. Quando comecei muito jovem no Mallorca, mostrei que queria mais e fui contratado pelo Madrid. Depois fui para o Espanyol e acho que me saí bem naquele ano. Voltei para o Madrid, comecei jogando e depois fiquei um mês sem jogar. Mas depois acabei jogando. Os minutos não se conseguem porque você gosta do técnico, mas na base do trabalho e demonstrar as coisas. No final, tive protagonismo e fui importante em jogos decisivo. No meu segundo ano (no Real Madrid) eu tive mais minutos e mais importância." 


Você acha que este ano as cobranças em você são maiores que em anos anteriores?
"Creio que sim. E se as pessoas pensam que eu posso dar isso e mais, é porque eu mostrei que posso. Gosto da exigência e ainda mais que a pessoa mais exigente comigo sou eu. Jogar no Madrid tem isso, muita pressão e muita exigência. O passado não é vivido e todo jogo é um mundo. Como você viu, o que aconteceu antes não serve para nada."


Consideração do novo técnico
"Agora temos um novo treinador e eu joguei os dois primeiros jogos. Agora tem mais jogos e  veremos a consideração que Solari tem de mim, mas estou muito feliz com ele. Os resultados melhoraram muito e isso é o mais importante. A equipe precisava voltar a ter bons resultados."

Nota por sua atual temporada
"É cedo para fazer avaliações, falta muito e tudo está em jogo. Tem havido momentos muito bons e outros não tão bons, tanto pessoais como em equipe. Mas é o acontece numa temporada. A temporada é longa e sempre há bons momentos e momentos ruins. E tenho certeza que agora todos os melhores momentos virão."


Tanto os torcedores como o clube têm grandes expectativas em Asensio. Isso pode ser um fardo extra para você?
"Depende das expectativas. Eu não posso marcar três gols em todo jogo, isso é óbvio. Há expectativas e eu quero me tornar esse jogador importante do Real Madrid que quero ser. Eu quero continuar triunfando no Real Madrid."

Você entende que o seu futebol gerou essas expectativas?
"Sim. Se todas essas expectativas existem, é porque mostrei isto no campo e porque eu mereço, suponho. No final é demonstrar isso no campo, continuar trabalhando e dar-lhe essa oportunidade e continuidade nos jogos."


É muito difícil conseguir continuidade no Real Madrid, certo?
"Em Madrid sempre há grandes jogadores e sempre há muita concorrência. Você sempre tem que estar em um ótimo nível e você não pode se perder. E isso é muito bom para a equipe."


Que tipo de jogador você quer ser? Onde você prefere jogar?
"Onde posso ser mais decisivo, no lado direito ou no meio. Na esquerda, também tive bom rendimento. Mas, o que os torcedores pedem é ser mais decisivo nos gols - que é o mais importante e com o que as pessoas ficam. Se eu começo (no jogo) mais da direita ou meio, terei mais oportunidades para ser decisivo e me envolver mais no jogo."


Este ano, até o momento, você só tem dois gols. Talvez sua posição influenciado nisso? Com Lopetegui você jogou muito na ala esquerda...
"Pode ser. A dinâmica da equipe também influencia, mas a medida em que voltamos a encontrar nosso jogo e continuamos com essa dinâmica vencedora, tenho certeza que números melhores virão."


Na sequência de oito horas sem fazer um gol, vocês chegaram a ficar desesperados? Como o vestiário vivenciou isto?
"Tranquilos era que não estávamos. Criamos ocasiões de gols e a bola não entrava.Sabíamos que não estávamos jogando mal e que criávamos chances suficientes em um jogo. Sabíamos que em algum momento o gol chegaria."


Vocês (jogadores) conseguem se isolar da pressão que a imprensa transmite?
"Algo chega. Eu por exemplo, aprendi com esse minibaque a me isolar um pouco. Eu continuei trabalhando bem e igual. Agora tento não dar muita importância para as críticas. Com os 
elogios, o mesmo. Eu sempre fiz bem assim."

Foro: Club del Deportista


No ano passado falaram-se de Marco Asensio como um futuro candidato para ganhar a Bola de Ouro. As coisas acontecem muito rápido com você?
"Isso foi dito no final da última temporada e no começo desta. Foi apenas um mês ruim, em que as coisas não saíram bem, porque no início tudo foi bem no Madrid e na seleção. O Madrid passa por extremos. Ou é muito ruim ou é muito bem, não há zona intermediária. Eu posso controlar o trabalho que faço. O que as pessoas dizem eu não posso controlar. O melhor é que eu me concentre no meu, fazer o melhor para mim, para a equipe e tentar provar isso em campo, que é onde eu tenho que falar."


Em quem você se refugiou nos momentos de críticas?
"Primeiro, em mim mesmo. Eu valorizo ​​as coisas, penso nelas, não sou de pedra. Sim, existem coisas que afetam você e sim, eu sou muito exigente comigo mesmo. Mas eu sempre estive com minha família, meus amigos... Mas eu tento não falar muito de futebol para me isolar um pouco. Minha família me dá o conselho que eles sabem que vão me ajudar, especialmente nos momentos das críticas. Eles também me aconselharam quando tudo eram elogios. Eles me disseram que este momento chegaria, como chegou." 


Onde está o limite de Asensio?
"Eu quero alcançar o máximo. Eu nunca me considerei isso ou aquilo. Com o trabalho de cada dia e com o que posso demostrar irei vendo meu limite."


Quando dizem que Marco Asensio será o novo líder do Madrid, não serve de referência?
"Por que não, claro. Quero continuar triunfando no Madrid, quero ser importante aqui, nunca escondi isso. Sou madridista desde criança, sempre quis jogar no Real Madrid e agora que tenho a oportunidade de ser importante, quero agarrá-la."


Asensio e Isco são compatíveis? Porque dá a sensação de que quando chega um novo técnico, no final ele acaba apostando em um ou no outro, não nos dois ao mesmo tempo ...
"Depende do técnico. É verdade que não coincidimos em muitos jogos, mas, de verdade, eu não sei o que é isso." 


O melhor jogo da temporada foi contra a Roma, contra quem ele quase marcou um gol... O que lhe passou pela cabeça? 
"São coisas que acontecem quando você tem confiança. Eu não pensava que faria isso, são coisas que vêm de dentro. Foi uma pena que a bola não tenha entrado, porque seria um golaço. Eu vi isso claramente, mas é uma questão de confiança. Quando você estar bem, saem mais coisas e melhores."


Você sonhava em chegar no Real Madrid e ganhar duas Champions nas suas duas primeiras temporadas?
"No primeiro ano ganhamos quatro títulos, no outro mais quatro outros... Foi um começo de sonho, eu não esperava ganhar tantos títulos. E mais vendo como é difícil vencer e continuar excedendo. Essa equipe sempre mostrou que está mal sempre reagiu e cresceu. E este ano também vamos reagir e com efetividade um pouco de sorte, as coisas vão sair bem."


Com qual foto você se hospeda no Real Madrid? Com o objetivo da Supercopa contra o Sevilla, a comemoração depois do seu gol na final de Cardiff ou o golaço no Bayern na prorrogação?
"Com a da comemoração na arquibancada com minha família, na final de Cardiff. Porque nós conversamos sobre isso e eles sabiam que se eu marcasse gols eu iria lá para comemorar com eles. Foi um momento que nunca esquecerei."


A camisa 7
"Não se falou muito deste tema. Não me disseram nada também. Eu nem sabia como era esse tema.  Mariano chegou, ele pegou e é isso. Não há necessidade de debruçar-se sobre o assunto."


O número 10 é o seu favorito?
"Eu não escondo, meu número favorito é 10 e sempre que posso eu uso esse número. Agora a camisa 10 está com Luka (Modric), que tem muitos anos no Real Madrid, mas, no futuro eu gostaria de levá-la."

(Foto: Javier Etxezarreta/EFE)


Se na próxima temporada Madrid contrata Hazard, seria uma decepção para você ou uma motivação para lutar contra ele pela titularidade?
"É especulação. Se alguém vier, vamos ver, mas agora é especulação."


O normal é que no próximo verão chegue alguma grande contratação...
"É possível, mas eu não sei quais são as intenções do Real Madrid. No final da temporada todas as coisas se valorizam. Tudo depende dos títulos conquistados e dos sentimentos do clube e dos próprios jogadores."


Você recebeu muitas ofertas nesses anos?
"Não, a mim não chega nada disso. É para isso que tem o meu agente. Eu não penso em outra coisa senão focar no Real Madrid. Eu tenho claro que quero triunfar no Real Madrid e continuar aqui."


Você escolheu o gol de Cardiff como seu melhor momento ... A Copa do Mundo é a maior decepção de sua carreira?
"Foi o meu primeiro Mundial e a ilusão que tinha... Quando você chega em casa e diz: 'Que oportunidade'.  Foi tudo muito estranho, um misto de coisas diferentes, mas de tudo pode-se tirar algo positivo. Foi um momento muito difícil porque quando eu perco sou insuportável."


A que se refere?
"Eu sou muito exigente comigo mesmo. Eu sou um vencedor, em tudo que eu jogo ou compito eu quero ganhar."


Então, você se sente mal quando dizem que você não é ambicioso?
"Sim, é o que mais me incomodou. Eu sempre mostrei que eu quero ganhar, é por isso que a interpretação se deu foi errônea e me incomodou. As pessoas leram um título que não é que dizia:' Marco Asensio não quer puxar o carro', e não é assim."
Marco Asensio afirma que foi mal interpretado e garante: "Quero continuar triunfando no Real Madrid" Marco Asensio afirma que foi mal interpretado e garante: "Quero continuar triunfando no Real Madrid" Publicadas por Giselle Felix em novembro 21, 2018 Mais 5